sexta-feira, 11 de julho de 2008

Templo Oficial de Quan-Inn do Brasil.



Templo Oficial de Quan-Inn do Brasil.

Rua São Nicolau, s/número - Parelheiros.

Cep. 04858-170Fones: 5938-0766 e 228-7910obs:

Distância de 10km do Autódromo de Interlagos.

Quando você se sentir em perigo



Quando você se sentir em perigo

ou se encontrar em uma situação desconfortável

na qual você sente que não pode fazer nada e quer invocar

o poder de Kuan Yin rapidamente, diga as seguintes palavras:


“Eu chamo o Bodhisattva que vê e ouve o sofrimento do mundo”.


Essa invocação tem sido usada através dos séculos para chamar

o poder de Kuan Yin. Você também pode usar a frase para chamar

Kuan Yin no início de uma meditação: repita-a muitas vezes por alguns minutos,

como um mantra, até que você sinta seu corpo todo relaxado, sua respiração

e batimentos cardíacos tenham diminuído e sua mente fique vazia.

Kuan Yin é um poderoso Bodhisattva que sempre virá para te salvar.

Milhões de pessoas do mundo budista atestam para seu verdadeiro

poder de compaixão.
Que Ela abençoe sua vida também!


Kuan Yin Divine Giver of Compassion
Manuela Dunn Mascetti
Tradução para o Português: Carol Colaneri

SIGNIFICADO DO MANTRA DA KUAN YIN



NAMO KUAN SHIH YIN PU SA


Eu me refugio na Luz de Kuan Yin


Saudações à Kuan Yin, a mais Compassiva

e Misericordiosa Bodhisattva.


É a invocação ao nome de Kuan Yin


Salve Kuan Shih Yin, Bodhisattva


Poderoso mantra da Amada Kuan Yin.


Ao pronunciarmos um mantra com respeito e devoção,


formas pensamento emanadas pelo som produzido,


se unem à formas idênticas emitidas por todos que entoam o mesmo mantra,


no tempo e no espaço, criando um campo vibracional muito poderoso


e retornam ao ponto de origem , ou seja às pessoas que pedem


pelas bênçaos do mantra e o cantam com fé.


Ao pé da letra esse mantra significa


Namo: é uma invocação que significa
Eu tomo refúgio em Kuan
Guan : observa
Shih: mundo
Yin :sons
Pu Sa: bodhisatva


Eu me refugio no Bodhisatva que observa os sons do mundo!!!


fonte: Discovering Kwan Yin

Canto do Bodhisattva







Certa vez, Avalokitesvara, o Bodhisattva da compaixão andava pelos prados


verdejantes do coração espiritual de um homem justo.


Em dado instante, elesentou-se embaixo de uma árvore frondosa,


filha do amor que havia possuídoaquele homem.




Então, o senhor da compaixão cantou o mantra da libertação:




"Om Mani PadmeHum"... "Om Mani Padme Hum"... Om Mani Padme Hum"...




**Acima, bem no meio do alto da cabeça do homem, brilhou o sol da consciência serena


e desperta.




Por ali, como se o seu chacra da coroa se transformasse num alto falante interdimensional,


ecoou as vibrações do Avalokitesvara para as dez direções


e para todos os seres.




Por todos os lugares onde chegava a vibração do mantra, correntes separtiram


e muitas almas foram libertadas da prisão do ódio em si mesmas.


Por onde o mantra chegava, essas almas escutavam o som do perdão e das correntes


se partindo por obra e graça do amor incondicional, que a ninguém


jamais condena e a tudo compreende.




O Boddhisattva cantou no coração de um homem justo, e as dez direções


estremeceram com as ondas vertidas pela compaixão serena e silenciosa.


E até hoje é assim...No coração dos justos habita o Boddhisattva da compaixão.


Ele inspira, canta e abraça os homens sofredores das dez direções.




No mundo ninguém ouve a sua canção, mas ele continua partindo as correntes


da dor silenciosamente.




"Om Mani Padme Hum"... "Om Mani Padme Hum"... "Om Mani Padme Hum"...




Sentado embaixo da árvore nos prados verdejantes do coração espiritual,


o Boddhisattva emana o mantra da jóia no lótus.




Ele tem um grande sonho:"Libertar a alma da humanidade do jugo do egoísmo,


e sentar embaixo de todasas árvores e dizer:




Wagner Borges


quinta-feira, 10 de julho de 2008

Sobre Kanzeon Bosatsu



Sobre Kanzeon Bosatsu
Quem é o fundador da “Seicho-No-Ie”?Quem fundou os ensinamentos da Seicho-No-Ie foi Kanzeon Bosatsu. A inscrição Jisso (Imagem Verdadeira), que reverenciamos nos salões da Seicho-No-Ie, significa a Imagem Verdadeira de cada um dos adeptos, e quem nos ensina sobre essa Imagem Verdadeira não é um ser humano, mas Kanzeon Bosatsu, que se encontra no mundo espiritual. E consta claramente na Sutra do Lótus que Kanzeon Bosatsu possui uma força sobrenatural infinita, que salva as pessoas na vida cotidiana.Como é a Sutra do Lótus?A Sutra do Lótus foi criada por Sakyamuni nos últimos dias de sua vida. É considerada a melhor e mais preciosa sutra dentre todas as sutras do budismo. E foi Kanzeon Bosatsu que fundou a Seicho-No-Ie. Está escrito na Sutra do Lótus que, qualquer que seja o desejo da pessoa, se pronunciar o nome de Kanzeon Bosatsu e orar com fé, esse desejo será realizado naturalmente.E, em que parte da Sutra do Lótus está escrito sobre Kanzeon Bosatsu? Na parte onde consta Kanzeon Bosatsu Fumonbon 25. Essa parte é chamada geralmente de Sutra Kannon. Kanzeon Bosatsu é chamada abreviadamente de Kannon, mas ela não é um ser humano. É um ser búdico que, captando o “som da mente das pessoas”, ou seja, a vibração mental, faz manifestar aquilo que as pessoas desejam. E os homens recebem de Kannon também a vida. Por isso, está escrito o seguinte na Sutra Kannon: “Se uma mulher reverenciar e cultuar Kanzeon Bosatsu e desejar ter um filho varão, gerará um menino bem-aventurado e inteligente. Se desejar uma menina, certamente gerará uma menina bela de rosto e corpo, que será benquista por todos, por ter acumulado virtudes nas vidas anteriores”.Se pedir para Kannon, terá um bom filhoGeralmente, se uma mulher não engravidar até completar 35 anos, é estéril. Entretanto, são muitos os casos de mulheres consideradas estéreis, que não conseguiam ter filho por mais que se esforçassem, mas que geraram bebês com 37, 46 ou até 51 anos, ao começarem a professar a Seicho-No-Ie. E isso se deve a Kannon.Desse modo, Sakyamuni dá especial destaque à Kanzeon Bosatsu no capítulo Fumonbon da Sutra do Lótus, citando essas virtudes dela. E foi Kanzeon Bosatsu quem fundou a Seicho-No-Ie. É ela a grandiosa fundadora no mundo espiritual.Quando estiver perto de um perigo, pronuncie o nome de kannonE na Sutra do Lótus consta: “Se a pessoa estiver perto de um perigo, pronuncie o nome de Kanzeon Bosatsu, que o perigo desaparecerá e será salva”. O sr. Endo escapou da pena de morteHá um caso verídico que constata isso. O sr. Yoshio Endo, que era comandante na ilha Hainan durante a Guerra no Pacífico, foi condenado à morte, por suspeitarem que ele ordenara o genocídio de chineses. Mas um tenente condenado à morte antes dele, jogou pela grade da cela o livro A Verdade da Vida, volume 6, (N. da T.: atuais volumes 11 e 12) e uma cópia a lápis da Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade escrita em papel higiênico, dizendo: “Estou sendo levado para a execução da minha pena de morte, mas, como li este livro, adquiri a convicção de que, mesmo morrendo o corpo carnal, a vida do homem é eterna e jamais morre. Assim, perdi o temor em relação à pena de morte. Você também está condenado à morte, e um dia chegará a sua vez. Mas, antes disso, conheça esta Verdade e desperte para a Vida eterna”.No início da sutra Chuva de Néctar da Verdade escrita a lápis no papel higiênico, constava o Canto Evocativo de Deus. No sexto volume do livro A Verdade da Vida, consta sobre “Unificação de todas as religiões”. Consta que “Todas as religiões, na essência, são uma”. Lendo repetidamente o livro, percebeu que aparece muitas vezes a palavra Shinsokan. Apesar de a palavra Shinsokan ser citada no livro, nesse volume 6 de A Verdade da Vida nada consta sobre a maneira de efetuar essa meditação. Apesar disso, dava para notar, pelo que estava escrito antes e depois dessa palavra, que era efetuada sentado e com as mãos justapostas. E o sr. Endo pensou que o Canto Evocativo de Deus copiado no papel higiênico deveria ser mentalizado com devoção, sentado corretamente e com as mãos justapostas. Assim, ele ficou praticando a Meditação Shinsokan, e os percevejos começaram a mudar para outro local. Nesse presídio do sul da China, havia muitos percevejos. Não sei se ali criavam percevejos especialmente para atormentar os prisioneiros, mas eles apareciam todas as noites e os picavam, causando-lhes muito prurido. E esses insetos fizeram mudança coletiva para outras celas. Naquela região, havia também muitos mosquitos da malária. Como a ilha Hainan localiza-se próxima a Taiwan, é um local muito quente. Assim, ele praticava a Meditação Shinsokan só vestindo calças, e os mosquitos da malária pousavam em todas as partes descobertas do seu corpo. Entretanto, não picavam o sr. Endo. Parecia que os mosquitos também ficavam praticando juntos a Meditação Shinsokan. E, ao terminarem a meditação, eles saíam voando para outro local.O carcereiro começou a tratá-lo com gentilezaQuando o sr. Endo passou assim a praticar diariamente a Meditação Shinsokan, o carcereiro começou a demonstrar-lhe respeito, passou a se aproximar dele e, no final, lançava-lhe palavras de gentileza. E, um dia, disse-lhe: “Você não vai ser condenado à morte”. Esta foi a bênção da Meditação Shinsokan. “Diz que não serei condenado à morte, mas recebi a condenação e já está definida a execução” – disse o sr. Endo, e o carcereiro chinês respondeu: “Você não vai ser condenado à morte. Já vim observando a fisionomia de muitos condenados à morte, e em todos se via sinais da morte. Mas, em você, não vejo isso. Creio que você não deu ordem para matar aquele grande número de chineses”. “— Não, de modo nenhum. É um crime que não cometi.“— Se não cometeu o crime, já enviou apelo por escrito, declarando-se inocente?“— Sim.“— Para onde?“— Para o Exército.”“— Não adianta mandar para o Exército, pois será ignorado e não chegará ao Governo Central. Vou escrever um requerimento de absolvição por acusação falsa ao Governo Central de Chiang Kai-shek. Basta que você assine.”E o carcereiro tomou todas as providências e enviou o requerimento para o Governo Central de Chiang Kai-shek. Assim, foi imediatamente reconhecida a inocência dele e, sendo libertado, pôde retornar para o Japão.Se a pessoa praticar diariamente a Meditação Shinsokan, ler o livro A Verdade da Vida e efetuar a leitura da sutra sagrada Chuva de Néctar da Verdade, conseguirá alcançar essas graças. O sr. Yoshio Endo considerou que foi salvo pelo livro A Verdade da Vida, volume 6 e, levando consigo esse volume, andou por todo o Japão relatando essa sua experiência de vida. Até hoje, ele teve êxito em divulgar sozinho cerca de 70 mil exemplares do sexto volume da coleção A Verdade da Vida. Ele obteve esse extraordinário resultado na divulgação dos ensinamentos porque disse, com verdadeira convicção e fervor, que foi salvo pelo livro A Verdade da Vida, o que fez com que as pessoas lessem 70 mil exemplares desse livro. Isso significa que divulgou as virtudes de Kanzeon Bosatsu, a fundadora desses ensinamentos, e efetuou a doutrinação de 70 mil pessoas. Os pais e mães dos leitores também podem fazer o mesmo. De fato, há hoje muitos pais e mães que estão divulgando individualmente estes ensinamentos para cem pessoas, participando do movimento ao divulgar mensalmente cem revistas sagradas.Que ensinamento consta na Sutra do Lótus?A Sutra do Lótus é considerada a mais preciosa entre todas as sutras budistas. E nela está escrito que o “homem é filho de Deus, filho de Buda”. Portanto, pode-se dizer que a Sutra do Lótus é Sutra Seicho-No-Ie. Em primeiro lugar, na parte intitulada Hobenbon, constam as palavras de Sakyamuni: “Eu sou o Buda, mas fiz a promessa de ensinar a todos a Verdade de que vocês também são budas igualmente a mim, e essa promessa foi cumprida agora. Todas as pessoas já são budas, são filhos de Deus”. E é na Sutra do Lótus que consta este maravilhoso ensinamento. A Sutra do Lótus é a mais preciosa, porque, nas sutras de até então, constavam que o homem não se tornará um Buda, um Tathagata, enquanto não passar por longo período de treinamento espiritual, pois até mesmo o Bodisatva Maitreya teve de efetuar treinamentos espirituais durante 5 bilhões e 670 milhões de anos para se tornar um Tathagata. Mas, na Sutra do Lótus, consta que todos os homens já são budas, já são filhos de Deus. Explicar a verdade de que todos os homens já são budas, já são filhos de Deus, é, na verdade, “pregar a Sutra do Lótus”. Ler o livro intitulado Sutra do Lótus e explicar seu conteúdo não é “pregar a Sutra do Lótus”. Explicar que todo ser humano é originalmente um filho de Deus, um Tathagata, é “pregar a Sutra do Lótus”. Portanto, a Verdade da Vida está sempre pregando a Sutra do Lótus. Por isso, manifestou-se o milagre ocorrido com o sr. Yoshio Endo. Kanzeon Bosatsu se manifestou com o emblema da Seicho-No-IeQuem primeiramente visualizou o fato de que foi Kanzeon Bosatsu quem fundou os ensinamentos da Seicho-No-Ie, foi o sr. Kanjiro Kadowaki, que era presidente da Federação das Associações Fraternidade da Seicho-No-Ie de Osaka, na época em que eu morava em Sumiyoshi-mura, na província de Hyogo. O sr. Kanjiro Kadowaki professava, desde antes, os ensinamentos da Sutra do Lótus e estudara profundamente essa sutra ouvindo as preleções do prof. Tigaku Tanaka, presidente da Associação Kokuchu, uma entidade patriótica. Mas ainda havia partes que não compreendera bem, porque nessa sutra consta a Verdade muito profunda. Mas, por sugestão de certa pessoa, ele leu o livro A Verdade da Vida e compreendeu o significado profundo da Sutra do Lótus, como se ela fosse aberta com uma chave. E compreendeu que “aqui está o filho de Deus, o Tathagata. Eu sou filho de Deus”. Assim, misteriosamente, desapareceram cinco doenças crônicas que ele tinha. Então, de tanta gratidão, o sr. Kadowaki orou da seguinte forma durante a Meditação Shinsokan: “Deus, que Se manifesta através da Seicho-No-Ie, por favor, permita-me reverenciar Sua imagem”. Quando assim orava com todo o fervor, a imagem de Kanzeon Bosatsu surgiu no espaço. Na mão esquerda, segurava uma flor de lótus semi-aberta, e, na mão direita, um rolo de pergaminho. Na cabeça, tinha uma coroa em cujo centro havia um emblema circular. O sr. Kadowaki esteve na minha residência e me contou essa experiência. Após cerca de três anos, em 1934, mudei-me para Tóquio. No ano seguinte, quando a Seicho-No-Ie já havia crescido bastante, pensei em criar um emblema e solicitei a criação do seu desenho ao prof. Yatsuharu Yamane, que fazia parte do jurado das obras de escultura da Exposição Imperial de Arte (hoje, Exposição Japonesa de Arte). O prof. Yamane criou sete desenhos, e aquele que escolhi como o melhor, é o emblema da Seicho-No-Ie usado hoje. Sendo definido o desenho, mandamos confeccionar centenas de bótons em prata esmaltado e enviamos uma parte para o sr. Kanjiro Kadowaki, que era presidente da Federação da Seicho-No-Ie de Osaka, para que ele distribuísse aos associados. Ao ver esses bótons, o sr. Kadowaki ficou realmente surpreso. É que, há quatro anos, quando orou durante a Meditação Shinsokan – “Deus, que Se manifesta através da Seicho-No-Ie, por favor, permita-me reverenciar Sua imagem” – Kanzeon Bosatsu se manifestou com uma coroa em cujo centro havia o mesmo emblema. O sr. Kadowaki não havia dito a ninguém sobre o desenho do emblema que ele vira na coroa de Kanzeon Bosatsu durante a Meditação Shinsokan, e se surpreendeu quando, quatro anos após, esse desenho surgiu no mundo fenomênico em forma visível aos olhos carnais, como emblema da Seicho-No-Ie. Através desse fato, compreendemos que tudo que se manifesta no mundo fenomênico é projeção daquilo que já existe no mundo espiritual, e que Kanzeon Bosatsu, antecedendo à manifestação fenomênica, já era a imagem divina principal da Seicho-No-Ie

Masaharu Taniguchi - Mundo Ideal - Abril/2006

APELO PARA OS NECESSITADOS


APELO PARA OS NECESSITADOS E MÃES QUE SE PREPARAM
PARA MATERNIDADE E AS CRIANÇAS QUE IRÃO NASCER

Amada Divina Kwan Yin visualizamo-nos dentro de tua chama púrpura
violeta e pedimos : Dirige tua energia para todos que buscam socorro e proteção.
Que tua compaixão e misericórdia os liberte de seus sofrimentos.
Dá tua ajuda amorosa, de preferência às mães, as mulheres jovens que
se preparam para a maternidade e todas as crianças que agora e futuramente irão nascer.
Nós te agradecemos.
( Kwan Yin é o lado feminino do buda Avalokitesvara, o buda da misericórdia
e compaixão. Ela também faz parte do Conselho Cármico ).

fonte desconhecida

Na luz de Kwan Yin e aspirando servir


Corujinha do Vale / Silvia Montone
Uma humilde seguidora de Kwan yin
http://corujinhadovaleartesanato.blogspot.com/ artesanato dedicado a Divindadeshttp://valesagradodekwanyin.blogspot.com/ blog dedicado a Kwan Yinhttp://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=1169995 comunidade no orkut

Esta é uma oração a Mãe Kwan Yin





NAMO TA-PEI KWAN SHIH YIN P'U-SA (em Chines)

"Aquela que quer, observa e ouve o som do mundo"NAMO MAHA KARUNA KWAN YIN BODHISATTVA(en Sánscrito)"Quem contempla o (suplicante) som do mundo".

Amada Mãe Kwan Yin, Deusa da Misericordia e da Compaixão, aceitapor favor minhas orações e estende teu amoroso manto sobre mim;

esparge-me com a agua benfeitora de sua benção e permita que as

pesadas cargas de minhas atitudes passadas sejam apagadas

por teu amor incondicional.Faça que gere em mim bondade, magnanimidade, misericórdia,tolerancia, e todas as qualidades que te fizeram um ser tão especial.Tu que é a que ouve , a que ouve o som do mundo, ouve

minha oração e permita-me ser coberto por seu manto de luz.

¡Gloria a Kwan Yin a Misericordiosa!¡Gloria a Kwan Yin a Redentora!¡Gloria a Kwan Yin, personificação do amor puro!



Encontrada em um grupo do yahoo em espanhol sem creditos e traduzida por Corujinha do Vale /Silvia/Brasil

perdoem algum erro pois só consigo traduzir textos de kwan yin

Invocação contra a inveja



Invocação contra a inveja

Ergo minha espada da Luz

e invoco tres vezes os Anjos guardiões,

dos portais de Shanbala.

Ergo minha voz e grito ao Anjo do Limiar YU YU YU.

Do norte vem o sonho

Do Sul vem o lirio

Do oeste vem o vaso

Do leste vem o símbolo

Que a verdade apareça nos cabelos de kuan yin

Que a inveja acabe com o mantra de Kuan Yin

Que a paz renasça em minha vida

No aqui e Agora!

Om Namo Kuan Yin Pusa





autoria : Sandra Meirelles
 

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Mais sobre Kwan Yin

http://corujinhadovaleartesanato.blogspot.com/
http://www.kwanyinarteeartesanato.blogspot.com/
Artes dedicadas a Kwan yin

http://br.groups.yahoo.com/group/Kwanyin/
lista do yahoo dedicada a Kwan Yin

Comunidade dedicada a Kwan yin
http://www.orkut.com.br/Community.aspx?cmm=1169995




Kuan Yin precedeu o Mestre Ascenso Saint Germain como Chohan (Senhor) do Sétimo Raio de Liberdade, Transmutação, Misericórdia e Justiça e ela é uma de sete Mestres Ascensos que atuam no Conselho do Carma, um conselho de justiça que medeia o karma das evoluções de terra - dispensando oportunidade, misericórdia e os verdadeiros e íntegros julgamentos de Deus a cada corrente de vida na Terra. Ela é a hierarca do Templo etérico da Misericórdia situado sobre Pequim, na China onde ela mantém o foco de luz da Mãe Divina em favor dos filhos da antiga terra da China, as almas de humanidade, e os filhos e filhas de Deus.
fonte desconhecida

Kuan Yin Atributos







Kuan Yin – A Benevolente
Panteão: Oriental (China)
Cores: Prata, Branco, Azul e Amarelo
Planeta: Lua e Sol
Dia da Semana: Segunda-feira e Domingo
Incenso/Erva: Lavanda, Rosa Branca e Sândalo
Conselho: A compaixão e a compreensão podem ser caminhos para que você desperte sua cura interna. Quando se sentir perdida ou confusa, respire e faça uma prece, algo que toque seu espírito e a conecte à verdadeira sabedoria e ao poder de perdoar. Esse perdão deve começar por perdoar a si mesma.
by Patricia Fox

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Amada Mãe, peço-te perdão.





Amada Mãe, peço-te perdão.

Venho humildemente suplicar que as nuvens se dissipem e a verdade venha a tona.

Querida mãe, como aliviar do coração a saudade ?

Como pedir perdão sem saber onde errei?

Como perdoar aqueles que fizeram o malcom intrigas e algo mais que nem sei quem são ou seus atos.

Mãe, sinto minha vida se esvaindo,meu coração diminuido,perdi algo precioso.

Mãe suplico que me ajude neste momento,a aliviar esta dor.

A seus pés me prosto e peço-te perdão pois se vós me perdoar serei perdoada por quem talvez um dia fiz sofrer sem mesmo saber porque.
Namo Kwan Shy Yin Pu Sa


Silvia Montone
22 de agosto de 2007

sexta-feira, 9 de maio de 2008





ALTAR TÂNTRICO
O altar deve ser um espaço organizado e harmônico, necessário para você ter mais privacidade e ofertar suas oferendas à Budas e Bodhisattvas. Procure colocar suas estatuetas contra uma parede sólida, que não tenha janelas, nem aberturas.
Coloque no centro do seu altar a sua divindade pessoal (Kuan Yin). De acordo com a tradição Budista, o número de imagens no altar deve ser ímpar. Os arranjos das estatuetas devem obedecer a ordem hierárquica: Budas, Bodhisattvas, Protetores Vajra e Deuses Celestiais. Aquela que tiver a posição hierarquicamente mais alta deve ficar à direita, e a de posição hierarquicamente mais baixa, à esquerda.
As oferendas devem ser organizadas em frente aos Budas e Boddhisattvas, podendo ser empregadas mais de 37 tipos de oferendas. Em geral, são empregadas as Cinco Oferendas ou Oito Oferendas:
As Cinco Oferendas são: incenso, flor, luminária , chá e fruta. As Oito Oferendas são (da direita para a esquerda): concha, fruta, pó de sândalo, luminária, três bastões de incenso, cinco flores brancas (para a Escola Nyingma), água com sabão e água. Na tradição Kagyu, as flores vermelhas são substituídas por flores brancas.
Depois que todas as oferendas estiverem organizadas, o próximo passo é a colocação do incensário. A estrutura do altar consiste em mandala, oferendas e incensário (nesta ordem). Para cada sessão de meditação, substitua a fruta, a água com sabão, e a água pura, ilumine a luminária e os incensos (os bastões devem ser em número ímpar). As demais oferendas podem ser colocadas como o praticante quiser.
Algumas pessoas arranjam suas oferendas em duas fileiras, com a parte superior para os Budas e Boddhisattvas e a parte inferior para a divindade pessoal.
O significado da Oferenda de Oito são:
AS DUAS ÁGUAS : adquirir merecimentos;
FLOR : caridade;
INCENSO : preceitos, regras;
LUMINÁRIA: iluminar seus caminhos;
FRUTA : benefícios da meditação SAMADHI;
INCENSO PERFUMADO : vigor;
CONCHA : realização pessoal e transmissão do conhecimento.
Se você organizou seu altar sozinha, deve consagrá-lo através de 21 recitações do Mantra Dharani de Uma Palavra, da Roda Universal, que é o seguinte:
Om, bu-lin.
Então, recite sete vezes o Mantra Kundalini:
Om, ah-mi-li-deh, Hum pei, visualizando que o mantra entra na água de um copo, em forma de energia, a qual depois deve ser borrifada pela sala e por sobre o altar inteiro.
Terminada a tarefa de montarmos nosso altar,está na hora de entrarmos em contato com nossa amada Kuan Yin. Devemos então, tocar três vezes um sino ou batermos palma também três vezes. Em seguida junta-se as mãos em posição de oração e repete-se 3 vezes:
NAMO TAPEI KUAN YIN PUSA

fonte: http://www.rosanevolpatto.trd.br


Mantra da suprema compaixão (Da Bei Zhou)

1. na mo ho la da nu do la ye ye,

2. na mo o li ye,

3. po lu je di sho bo la ye,

4. pu ti sa do po ye,

5. mo ho sa do po ye,

6. mo ho jia lu ni jia ye,

7. an,

8. sa bo la fa yi,

9. su da nu da sia,

10. na mo si ji li do yi mung o li ye,

11. po lu ji di, sho fo la ling to po,

12. na mo nu la jin cho,

13. si li mo ho po do sha me,

14. sa po wo to do shu pung,

15. wo si yun,

16. sa po sa do na mo po sa do na mo po che,

17. mo fa to do,

18. da dzo to,

19. an, o po lu si,

20. lu jia di,

21. jia lo di,

22. i si li,

23. mo ho pu ti sa do,

24. sa po sa po,

25. mo la mo la,

26. mo si mo si li to yun,

27. ji lu ju lu, jie mong,

28. du lu du lu fa she ye di,

29. mo ho fa she ye di,

30. to la to la,

31. di li ni,

32. shi fo la ye,

33. zhe la zhe la,

34. mo mo, fa mo la,

35. mu di li,

36. yi si yi si,

37. shi nu shi nu,

38. o la son, fo la so li,

39. fa sha fa son,

40. fo la she ye,

41. hu lu hu lu mo la,

42. hu lu hu lu si li,

43. so la so la,

44. si li si li,

45. su lu su lu,

46. pu ti ye, pu ti ye,

47. pu to ye, pu to ye,

48. mi di li ye,

49. nu la jin cho,

50. di li so ni nu,

51. po ye mo nu,

52. so po ho,

53. si to ye,

54. so po ho,

55. mo ho si to ye,

56. so po ho,

57. si to yu yi,

58. shi bo la ye,

59. so po ho,

60. no la jin cho,

61. so po ho,

62. mo la nu la,

63. so po ho,

64. si la son o mo chi ye,

65. so po ho,

66. so po mo ho o si to ye,

67. so po ho,

68. zhe ji la o xi to ye,

69. so po ho,

70. bo fo mo jie si to ye,

71. so po ho,

72. nu la jin cho bo che la ye,

73. so po ho,

74. mo po li song ji la ye,

75. so po ho,

76. na mo ho la ta nu do la ye ye,

77. na mo o li ye,

78. po lu ji di,

79. sho bo la ye,

80. so po ho,

81. an si den,

82. man do la,

83, ba to ye,

84. so po ho.



Oração a Kwan Yin

Senhora de formosura e compaixão
Senhora que ouve os prantos do mundo
Senhora que brilha na escuridão
Senhora que detém o amor em suas mãos
Senhora de toda a criação
Face de Maria, Tchenrezi e Tara
Senhora que nos guia
Senhora dos 5 elementos
Senhora do Lótus Sagrado
Vinde, Vinde, Vinde
Vinde e me iniciai
Como fizeste com a Mestra Gabriela
Venha me ensinar
A amar, praticar, me salvar e propagar o Lótus Sagrado pela Terra!


fonte:www.gabrielaipl.com.br



OM-MANI-PADME-HUM que significa "A jóia do Lótus" .
Este Mantra te conecta com a energia da mestra ascensa Kwan Yin.
Este Mantra protege a aura evitando que baixe a energia. Cada parte deste Mantra produz algo:
OM, sentes a ligação com Kwan Yin.
MANI, significa Jóia. ajuda a eliminar as más energias da aura.
PADME, significa Lótus, harmoniza a aura.
HUM, estimula a percepção da aura e estimula sua harmonia.


Magnified Healing


A Cura, a Expansão da Chama Trina no Coração
Introduzida pela primeira vez na Terra em 1983, Magnified Healing, (Cura Magnificada) é uma lindíssima ferramenta de amor, cura e libertação. Antes essa cura era praticada apenas nas mais altas dimensões do universo por Mestres Ascencionados. Em 1992 porém, por incentivo e inspiração direta da Senhora Mestra Kwan Yin, Deusa Chinesa da Compaixão e Amor, a Cura Magnificada foi trazida em forma expandida através de Gisèle King e Kathryn Anderson, nos Estados Unidos.
A Cura Magnificada limpa, equilibra, reintegra e harmoniza todos os chacras, sensibiliza e ativas o sistema nervoso e redistribui o cálcio na espinha. É a única modalidade de cura, conhecida até o momento, que cancela todos os carmas, ativa e expande a Chama Trina no Coração e nos prepara para a Ascensão Espiritual. Atua nos níveis físico, emocional, mental, etérico e espiritual, utilizando geometria sagrada, respiração e afirmações.
Chama Trina
A Chama Trina, que é a Chama de Cristo dentro do coração de cada ser humano, é composta de três pétalas e representa três qualidades divinas: amor, sabedoria e poder – imprescindíveis para a obtenção do equilíbrio e da iluminação. A pétala rosa representa o amor incondicional, a azul o poder de Deus em nossas vidas e a dourada nos habilita com a sabedoria Divina. Sem sabedoria não podemos ministrar o amor e muito menos o poder.
Prática
Esse trabalho de cura permite utilizar energias de 5ª dimensão que atua segundo a Lei da Misericórdia para curarmos a nós mesmos e a outros, curarmos à distância e curarmos o planeta. A iniciação nos conecta ao nosso Eu Superior que passa a dirigir mais diretamente nossa vida diária. O desenvolvimento espiritual libera, ativa e trás mais harmonia em nossa vida pela adequação com as leis cósmicas.
Na prática diária nós limpamos o Canal de Luz, estabelecendo um fluxo constante entre o Altíssimo Deus do Universo e o Cristal no centro da Terra. Isto acontece através de nossos chacras, que são limpos, energizados, expandidos, passam a irradiar boa qualidade de energia e são centralizados no chacra do coração. Esta conexão nos traz um profundo estado de graça, plenitude e amor.
“Muitas formas de cura são focadas no curador, significando que o buscador precisa ir a um médico, sacerdote, templo, shaman ou outro lugar para receber a cura. Na maioria dos métodos de cura vibracionais, a energia é obtida por canalização e direcionada através do curador. Em Magnified Healing, o praticante cria a energia com o ALTÍSSIMO DEUS DO UNIVERSO e se torna Ela.” (Extraído de Magnified Healing...Uma Nova (Antiga) Perspectiva por Jean Bennett. )
Tenho observado, através de minhas vivências e também de relatos de alunos iniciados, o grande impulso que a Cura Magnificada dá em nossas vidas, acelerando o processo da cura pessoal em todos os níveis e, conseqüentemente, reforçando nossos sentimentos de fé, liberdade, criatividade e equilíbrio. Isto acontece pela dissolução de antigos bloqueios energéticos que nos atrapalham de forma imperceptível.
Todo o método é oferecido em três fases.
A primeira fase é um curso de um dia inteiro com muitas ativações, explicações e a iniciação. Um processo que usa geometria sagrada, respiração e afirmações, incluindo:
Preparação: Meditação para adquirir poderAtivação da Chama Trina no coração.Alinhamento dos ChacrasLimpeza do Canal de Luz Aumento da energia das Mãos.
Cura: Sensibiliza, ativa e conecta o Sistema Nervoso Examina e cura o corpo Estimula o Cálcio na EspinhaEquilibra os Chacras Cura a Terra e Cura à Distância
Tem uma Iniciação com Essência de Flores especialmente preparada para Magnified Healing. Certificado de Mestre Professor e mais manual de ensino e CD de prática.
A segunda fase é composta do curso e da cerimônia, que é a Celebração de Cura. Nessa fase você vai sentir a grande intensidade da energia de Magnified Healing por causa da união, requalificação e focalização das energias emanadas do coração de todos os presentes.
Você pode participar do curso e da Cerimônia, ou só da Cerimônia. Se você participar do curso, vai ser um (a) Celebrante e poderá também ministrar cursos.
No curso acontecem várias ativações, com revisão de todo o processo, mais a cura mental e emocional e abertura do Portal para a Ascensão. Essa fase não é pré-requisito para a terceira fase.
A terceira fase é o Light Healing (Cura com Luz) trazida pelo Senhor Melchizedek, Sumo Sacerdote do Deus Altíssimo, que cuida da reprogramação e reeducação de todos os seres da Terra. Tem também uma iniciação, antecedida com muitas ativações e ajustes durante todo o primeiro dia. Essas ativações são muito fortes e potencializam todas as práticas de cura aprendidas na primeira fase. Por isso, é necessário um contato prévio com quem vai ministrar o curso e a prática constante, principalmente nos onze dias antecedentes ao curso.
Você vai aprender a trabalhar com os raios largo e laser de Luz para curar sistemas do corpo físico, extrair tumores e trabalhar com os corpos exteriores. O curso dura dois dias inteiros e já temos muitos professores no Brasil, espalhados em vários Estados. Nessa fase você se torna um praticante da terceira fase, Light Healing, e só poderá ensinar participando de um curso para Instrutores de Light Healing, oferecido pela própria Gisele King.




Há uma confiança implícita na graça salvadora e poderes curadores de Kwan Yin. Muitos acreditam que até mesmo a mera invocação de seu nome a traz imediatamente ao lugar do chamado. Um dos mais famosos textos associados à bodhisattva, o antigo Sutra do Lótus, cujo vigésimo quinto capítulo, dedicado a Kwan Yin, e conhecido como o "Sutra de Kwan Yin" descreve treze casos de desastres iminentes - de naufrágios a incêndios, prisões, ladrões, demônios, venenos fatais e aflições cármicas - nas quais o devoto é salvo quando se entrega ao poder de Kwan Yin. O texto é recitado muitas vezes, diariamente, por aqueles que desejam receber os benefícios prometidos. Os devotos invocam o poder e a misericordiosa intercessão da Bodhisattva com o mantra OM MANI PADME HUM - "salve a jóia no lótus", ou, como também tem sido traduzido, "salve Avalokitesvara, que é a jóia no coração do lótus no coração dos devotos". Através do Tibete e Ladakh, budistas têm inscrito OM MANI PADME HUM em pedras lisas de oração, chamadas "pedras mani", como ofertas votivas a Avalokitesvara. Milhares dessas pedras têm sido usadas para construir muretas-mani que ladeiam as estradas que dão ingresso a aldeias e monastérios.
Acredita-se que Kwan Yin freqüentemente aparece no céu ou nas ondas para salvar aqueles que a invocam quando em perigo. Histórias pessoais podem ser ouvidas em Taiwan, por exemplo, de pessoas que a viram durante a Segunda Guerra Mundial aparecendo no céu como uma jovem, agarrando as bombas e cobrindo-as com as suas vestes brancas para que não explodissem.
Assim , altares dedicados à Deusa da Misericórdia são encontrados em todos os lugares - lojas, restaurantes, até mesmo em para-lamas ou painéis de carros. Nas casas ela é venerada com o tradicional "pai pai", um ritual de oração que usa incenso, e também com o uso de quadros de oração – folhas de papel com fotos de Kwan Yin, flores de lótus ou pagodes e guarnecidas com centenas de pequenos círculos. Com cada série de orações recitadas ou sutras lidos, em uma novena para um parente, amigo, ou em causa própria, outro círculo é completado. O quadro tem sido descrito como um "Navio de Salvação" por meio do qual almas que partiram são salvas dos perigos do inferno e aquelas sinceras são transportadas com segurança ao céu de Amitabha. Juntamente com os cultos elaborados com litanias e orações, a devoção a Kwan Yin está expressa na literatura popular em poemas e hinos de louvor.
Os seguidores devotos de Kwan Yin podem freqüentar templos locais e podem fazer peregrinações a templos maiores em ocasiões importantes ou quando sofrem com um problema especial. Os três festivais anuais realizados em sua honra acontecem no dia dezenove do segundo mês (celebrado como o seu aniversário), do sexto mês, e do nono mês do calendário lunar chinês.
Na tradição da Grande Fraternidade Branca Kwan Yin é conhecida como a Mestra Ascensionada que carrega a função e o título de "Deusa da Misericórdia" porque ela personifica as qualidades divinas da lei da misericórdia, compaixão e perdão. Ela passou por numerosas encarnações antes de sua ascensão há milhares de anos e aceitou o voto de bodhisattva para ensinar aos filhos de Deus não ascensionados como equilibrar seus carmas e cumprir seus planos divinos com serviço amoroso à vida e a aplicação da chama violeta pela ciência da Palavra falada.
Kwan Yin é originária do planeta Vênus e chegou à Terra juntamente com a comitiva de Sanat Kumara há 16 milhões de anos, quando este tomava posse como Senhor do Mundo, na regência da Terra. Como Mestra de Saint Germain , ela o acompanhou e inspirou em suas inúmeras missões na Terra, com a intenção de ajudar a humanidade em sua elevação.Kwan Yin precedeu o Mestre Ascensionado Saint Germain como Chohan (Senhor) do Sétimo Raio de Liberdade, Transmutação, Misericórdia e Justiça e ela é uma de sete Mestres Ascensionados que atuam no Conselho Cármico, um conselho de justiça que é o mediador do karma das evoluções de Terra - dispensando oportunidade, misericórdia e os verdadeiros íntegros julgamentos de Deus a cada corrente de vida na Terra. Ela é a hierarca do Templo etérico da Misericórdia situado sobre Pequim, na China onde ela mantém o foco de luz da Mãe Divina em favor dos filhos da antiga terra da China, as almas da humanidade, e os filhos e filhas de Deus.

Sugerimos o livro "A DEUSA DA COMPAIXÃO E DO AMOR - O culto místico de Kwan Yin" de John Blofeld

Kwan Yin também é conhecida como a bodhisattva protetora de P'u-t'o Shan , senhora do Mar do Sul e protetora dos pescadores. Como tal, ela é mostrada cruzando o mar sentada ou em pé sobre um lótus ou com seus pés na cabeça de um dragão.
Como Avalokitesvara, ela também é descrita com mil braços e números variados de olhos, mãos e cabeças, às vezes com um olho na palma de cada mão, e é chamada "bodhisattva de mil braços, de mil olhos". Nessa forma ela representa a mãe onipresente, olhando simultaneamente em todas as direções, sentindo as aflições da humanidade e estendendo seus muitos braços para as aliviar com expressões infinitas de sua misericórdia.
Os símbolos característicos associados a Kwan Yin são um galho de salgueiro, com o qual ela esparge o néctar divino da vida; um vaso precioso, simbolizando o néctar da compaixão e da sabedoria, traços do bodhisattva; uma pomba representando a fecundidade; um livro ou um pergaminho de orações que ela segura em sua mão, simbolizando o dharma (ensinamentos) do Buda ou o sutra (texto budista) o qual Miao Shan, dizia-se, recitava constantemente; e um rosário adornando seu pescoço, através do qual ela clamava aos Budas por socorro.
Imagens de Avalokitesvara freqüentemente mostram-na segurando um rosário; descrições de seu nascimento afirmam ter ela nascido com um rosário cristalino branco em sua mão direita e uma flor branca de lótus na esquerda. É ensinado que as contas do rosário representam todos os seres vivos e o manuseio delas simboliza que Avalokitesvara os está conduzindo para fora de seu estado de miséria e da roda de repetidos renascimentos para o nirvana.
Atualmente Kwan Yin é reverenciada por taoístas e também pelos budistas Mahayana - especialmente em Taiwan, Japão e Coréia, e novamente em sua pátria, a China, onde a prática do Budismo havia sido suprimida durante a Revolução Cultural comunista (1966-69). Ela é a protetora das mulheres, dos marinheiros, dos comerciantes, dos artesãos e daqueles que se encontram sob perseguição criminal, e é invocada particularmente por aqueles que desejam progênie. Amada como a figura da Mãe e mediadora divina que está muito próxima dos negócios diários de seu devotos, o papel de Kwan Yin como madona budista tem sido comparado ao de Maria, a mãe de Jesus, no Ocidente.


Amitabha, uma figura muito amada por budistas que desejam renascer em seu paraíso oriental e libertar-se da "roda do renascimento", é tido, num sentido espiritual ou místico, como o pai de Kwan Yin. Lendas da escola Mahayana relatam que Avalokitesvara nasceu de um raio de luz branca emitido pelo olho direito de Amitabha, quando mergulhado em êxtase.
Assim, Avalokitesvara, ou Kwan Yin, é considerada como o "reflexo" de Amitabha - uma encarnação posterior de "maha karuna" (grande misericórdia), a qualidade que Amitabha personifica em seu mais elevado sentido. Muitas figuras de Kwan Yin podem ser identificadas pela presença de uma pequena imagem de Amitabha em sua coroa. Acredita-se que a misericordiosa redentora Kwan Yin expressa a compaixão de Amitabha de uma forma mais direta e pessoal, e que as preces a ela dirigidas são atendidas mais rapidamente .
A iconografia de Kwan Yin a descreve de muitas formas, cada uma revelando um aspecto único de sua misericordiosa presença. Como a sublime Deusa da Misericórdia, cuja beleza, graça e compaixão vieram a representar o ideal de feminilidade do Oriente, ela é retratada freqüentemente como uma mulher esbelta em um esvoaçante manto branco, carregando em sua mão esquerda um lótus branco, símbolo de pureza. Está enfeitada com ornamentos simbolizando suas realizações como bodhisattva, ou é mostrada sem ornamentos, como um sinal de sua grande virtude. A figura de Kwan Yin é retratada freqüentemente como "doadora de crianças" que são encontradas em casas e templos. Um grande véu branco cobre sua forma inteira e ela pode estar sentada em um lótus. Freqüentemente ela é representada com uma criança em seus braços, próxima a seus pés, ou sobre seus joelhos, ou, ainda, com várias crianças ao seu redor. Neste papel, a ela se referem como "a honrada de branco vestida". Às vezes estão à sua direita e à sua esquerda dois auxiliares, Shan-ts'ai Tung-tsi, o "homem jovem de capacidades excelentes", e Lung-wang Nu, a "filha do Dragão-rei".



A Salvadora Compassiva
Kwan Yin é a Salvadora Compassiva do Leste. Por todo o Oriente altares dedicados a esta Mãe da Misericórdia podem ser achados em templos, casas e grutas nos caminhos.


Orações à Presença dela e à sua Chama estão incessantemente nos lábios dos devotos à medida que buscam orientação e socorro em todas as áreas da vida.
Muito presente na cultura oriental, Kwan Yin tem despertado interesse em seu caminho e ensinamento entre um número crescente de devotos ocidentais, que reconhecem a poderosa presença da "Deusa da Misericórdia", junto com a da Virgem Maria, como iluminadora e intercessora da Sétima Era de Aquário.
A longa história de devoção a Kwan Yin mostra-nos o caráter e o exemplo desta Portadora de Luz que não somente dedicou sua vida a seus amigos, mas sempre assumiu o papel de intercessora e redentora.


Durante séculos, Kwan Yin simbolizou o grande ideal do Budismo Mahayana em seu papel de bodhisattva (chinês p'u-sa), literalmente, "um ser de bodhi, ou iluminação", destinado a se tornar um Buda, mas que renunciou ao êxtase do nirvana, como um voto para salvar todas as crianças de Deus.
O nome Kwan Shih Yin, como é freqüentemente chamada, significa literalmente "aquela que considera, vigia e ouve as lamentações do mundo".


Segundo a lenda, Kwan Yin estava para entrar no céu, porém parou no limiar ao ouvir os gritos do mundo.
Existe ainda muito debate acadêmico relativo à origem da devoção à bodhisattva feminina Kwan Yin. Ela é considerada a forma feminina de Avalokitesvara, bodhisattva da misericórdia do Budismo indiano, cuja adoração foi introduzida na China no terceiro século.
Estudiosos acreditam que o monge budista e tradutor Kumarajiva foi o primeiro a se referir à forma feminina de Kwan Yin, em sua tradução chinesa do Sutra do Lótus, em 406 A.C.. Dos trinta e três aparecimentos do bodhisattva mencionados em sua tradução, sete são femininos. (Devotos chineses e budistas japoneses desde então associaram o número trinta e três a Kwan Yin.)
Embora Kwan Yin tenha sido retratada como um homem até o século X, com a introdução do Budismo Tântrico na China no século oitavo, durante a dinastia T'ang, a imagem da celestial bodhisattva como uma bela deusa vestida de branco era predominante e o culto devocional a ela cresceu em popularidade. No século nono havia uma estátua de Kwan Yin em cada monastério budista da China.
Apesar da controvérsia acerca das origens de Kwan Yin como um ser feminino, a representação de um bodhisattva, ora como deus, ora como deusa, não é inconsistente com a doutrina budista. As escrituras explicam que um bodhisattva tem o poder de encarnar em qualquer forma - macho, fêmea, criança e até animal - dependendo da espécie de ser que ele procura salvar. Como relata o Sutra do Lótus, a bodhisattva Kuan Shih Yin, "pelo recurso de uma variedade de formas, viaja pelo mundo, conclamando os seres à salvação". *
Pela lenda do século XII , do santo budista Miao Shan, a princesa chinesa que viveu em aproximadamente 700 A.C. e que se acredita tenha sido Kwan Yin, reforça a imagem da bodhisattva feminina. Durante o século XII monges budistas estabeleceram-se em P'u-t'o Shan – a ilha-montanha sagrada no Arquipélago de Chusan, ao largo da costa de Chekiang, onde se acredita tenha Miao Shan vivido por nove anos, curando e salvando marinheiros de naufrágios - e a devoção a Kwan Yin espalhou-se ao longo do norte da China.
Essa ilha pitoresca tornou-se o centro principal de adoração à Salvadora misericordiosa; multidões de peregrinos viajavam dos mais remotos cantos da China e até mesmo da Manchúria, Mongólia e Tibet para assistir ali às cerimônias religiosas. Houve época em que havia mais de cem templos na ilha e mais de mil monges. As tradições narram inúmeras aparições e milagres de Kwan Yin na ilha, sendo relatado que ela aparecia aos fiéis em uma certa gruta local.
Na seita "Terra Pura" do Budismo, Kwan Yin faz parte de uma tríade governante que é representada freqüentemente em templos e é um tema popular na arte budista. Nessas pinturas o Buda da Luz Ilimitada – Amitabha (chinês A-mi-t'o Fo e japonês Amida) está no centro; à sua direita está o Bodhisattva da força ou poder, Mahasthamaprapta ,e à sua esquerda está Kwan Yin, personificando a misericórdia infinita.
Na teologia budista, Kwan Yin é às vezes representada como comandante do "barco da salvação", guiando almas ao paraíso oriental de Amitabha ou Terra Pura - a terra do êxtase onde almas podem renascer para receber instruções contínuas no sentido de alcançar a iluminação e a perfeição. A jornada à Terra Pura é freqüentemente representada em xilogravuras mostrando barcos cheios de seguidores de Amitabha, sob o comando de Kwan Yin.

Meditação do Amor

Sente-se ou deite confortavelmente

Se desejar coloque uma musica para relaxar

Sinta as emanações de amor.
Não precia sentir o amor como uma emoção forte , apenas sinta calmamente.

O amor é calmo como o agradecimento e a compaixão.
Ao fazer a meditaçao do amor, é bom sorrir sempre .

Use a sua imaginaçao, visualize o amor como uma luz rosa brilhando.

Imagine essa luz do amor saindo do seu peito e se expandindo para todo seu corpo.

Agora imagine que todas as celulas do seu corpo estão brilhando com a luz forte do amor.

Sinta e aproveite este sentimento de amor no seu corpo.

É normal que seu corpo vibre ao fazer a meditaçao do amor.

Não se assuste, relaxe apenas.

Agora , imagine que de cada celula do seu corpo esta radiando essa luz rosa do amor ao seu redor preenchendo todo o ambiente.

Imagine que essa luz rosa se expande ainda mais, envolvedo toda a cidade.

Imagine que todas as pessoas , plantas , e animais se sentem felizes quando são expostos a essa luz rosa de puro amor.

Agora imagine que essa luz rosa está enchendo todo o planeta .
Imagine que todos os seres viventes estão cheios com essa luz rosa do amor.

Faça isso por 15 a 30 minutos todos os dias e surprenda-se com o resultado.Você tambem pode mandar amor a quem quer que seja,simplesmente imaginando essa luz rosa do amor sendo enviada e envolvendo essa pessoa.

Esta meditaçao recebi de uma lista de Kwan Yin dos EUA e traduzi Silvia Montone

domingo, 13 de abril de 2008



Sobre Kanzeon Bosatsu

Como Kwan Yin é conhecida na Seicho-No-Ie





Quem é o fundador da “Seicho-No-Ie”?


Quem fundou os ensinamentos da Seicho-No-Ie foi Kanzeon Bosatsu.

A inscrição Jisso (Imagem Verdadeira), que reverenciamos nos salões da Seicho-No-Ie, significa a Imagem Verdadeira de cada um dos adeptos, e quem nos ensina sobre essa Imagem Verdadeira não é um ser humano, mas Kanzeon Bosatsu, que se encontra no mundo espiritual.


E consta claramente na Sutra do Lótus que Kanzeon Bosatsu possui uma força sobrenatural infinita, que salva as pessoas na vida cotidiana.


Como é a Sutra do Lótus?A Sutra do Lótus foi criada por Sakyamuni nos últimos dias de sua vida. É considerada a melhor e mais preciosa sutra dentre todas as sutras do budismo.


E foi Kanzeon Bosatsu que fundou a Seicho-No-Ie. Está escrito na Sutra do Lótus que, qualquer que seja o desejo da pessoa, se pronunciar o nome de Kanzeon Bosatsu e orar com fé, esse desejo será realizado naturalmente.E, em que parte da Sutra do Lótus está escrito sobre Kanzeon Bosatsu? Na parte onde consta Kanzeon Bosatsu Fumonbon 25.


Essa parte é chamada geralmente de Sutra Kannon. Kanzeon Bosatsu é chamada abreviadamente de Kannon, mas ela não é um ser humano. É um ser búdico que, captando o “som da mente das pessoas”, ou seja, a vibração mental, faz manifestar aquilo que as pessoas desejam.


E os homens recebem de Kannon também a vida. Por isso, está escrito o seguinte na Sutra Kannon: “Se uma mulher reverenciar e cultuar Kanzeon Bosatsu e desejar ter um filho varão, gerará um menino bem-aventurado e inteligente. Se desejar uma menina, certamente gerará uma menina bela de rosto e corpo, que será benquista por todos, por ter acumulado virtudes nas vidas anteriores”.Se pedir para Kannon, terá um bom filhoGeralmente, se uma mulher não engravidar até completar 35 anos, é estéril.


Entretanto, são muitos os casos de mulheres consideradas estéreis, que não conseguiam ter filho por mais que se esforçassem, mas que geraram bebês com 37, 46 ou até 51 anos, ao começarem a professar a Seicho-No-Ie. E isso se deve a Kannon.Desse modo, Sakyamuni dá especial destaque à Kanzeon Bosatsu no capítulo Fumonbon da Sutra do Lótus, citando essas virtudes dela. E foi Kanzeon Bosatsu quem fundou a Seicho-No-Ie.


É ela a grandiosa fundadora no mundo espiritual.Quando estiver perto de um perigo, pronuncie o nome de kannonE na Sutra do Lótus consta: “Se a pessoa estiver perto de um perigo, pronuncie o nome de Kanzeon Bosatsu, que o perigo desaparecerá e será salva”. O sr. Endo escapou da pena de morteHá um caso verídico que constata isso. O sr. Yoshio Endo, que era comandante na ilha Hainan durante a Guerra no Pacífico, foi condenado à morte, por suspeitarem que ele ordenara o genocídio de chineses.


Mas um tenente condenado à morte antes dele, jogou pela grade da cela o livro A Verdade da Vida, volume 6, (N. da T.: atuais volumes 11 e 12) e uma cópia a lápis da Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade escrita em papel higiênico, dizendo: “Estou sendo levado para a execução da minha pena de morte, mas, como li este livro, adquiri a convicção de que, mesmo morrendo o corpo carnal, a vida do homem é eterna e jamais morre. Assim, perdi o temor em relação à pena de morte. Você também está condenado à morte, e um dia chegará a sua vez. Mas, antes disso, conheça esta Verdade e desperte para a Vida eterna”.No início da sutra Chuva de Néctar da Verdade escrita a lápis no papel higiênico, constava o Canto Evocativo de Deus.


No sexto volume do livro A Verdade da Vida, consta sobre “Unificação de todas as religiões”. Consta que “Todas as religiões, na essência, são uma”. Lendo repetidamente o livro, percebeu que aparece muitas vezes a palavra Shinsokan. Apesar de a palavra Shinsokan ser citada no livro, nesse volume 6 de A Verdade da Vida nada consta sobre a maneira de efetuar essa meditação. Apesar disso, dava para notar, pelo que estava escrito antes e depois dessa palavra, que era efetuada sentado e com as mãos justapostas. E o sr. Endo pensou que o Canto Evocativo de Deus copiado no papel higiênico deveria ser mentalizado com devoção, sentado corretamente e com as mãos justapostas.


Assim, ele ficou praticando a Meditação Shinsokan, e os percevejos começaram a mudar para outro local. Nesse presídio do sul da China, havia muitos percevejos. Não sei se ali criavam percevejos especialmente para atormentar os prisioneiros, mas eles apareciam todas as noites e os picavam, causando-lhes muito prurido. E esses insetos fizeram mudança coletiva para outras celas. Naquela região, havia também muitos mosquitos da malária. Como a ilha Hainan localiza-se próxima a Taiwan, é um local muito quente.


Assim, ele praticava a Meditação Shinsokan só vestindo calças, e os mosquitos da malária pousavam em todas as partes descobertas do seu corpo. Entretanto, não picavam o sr. Endo. Parecia que os mosquitos também ficavam praticando juntos a Meditação Shinsokan. E, ao terminarem a meditação, eles saíam voando para outro local.O carcereiro começou a tratá-lo com gentilezaQuando o sr. Endo passou assim a praticar diariamente a Meditação Shinsokan, o carcereiro começou a demonstrar-lhe respeito, passou a se aproximar dele e, no final, lançava-lhe palavras de gentileza.


E, um dia, disse-lhe: “Você não vai ser condenado à morte”. Esta foi a bênção da Meditação Shinsokan. “Diz que não serei condenado à morte, mas recebi a condenação e já está definida a execução” – disse o sr. Endo, e o carcereiro chinês respondeu: “Você não vai ser condenado à morte. Já vim observando a fisionomia de muitos condenados à morte, e em todos se via sinais da morte. Mas, em você, não vejo isso.


Creio que você não deu ordem para matar aquele grande número de chineses”. “— Não, de modo nenhum. É um crime que não cometi.“— Se não cometeu o crime, já enviou apelo por escrito, declarando-se inocente?“— Sim.“— Para onde?“— Para o Exército.”“— Não adianta mandar para o Exército, pois será ignorado e não chegará ao Governo Central. Vou escrever um requerimento de absolvição por acusação falsa ao Governo Central de Chiang Kai-shek. Basta que você assine.”E o carcereiro tomou todas as providências e enviou o requerimento para o Governo Central de Chiang Kai-shek. Assim, foi imediatamente reconhecida a inocência dele e, sendo libertado, pôde retornar para o Japão.Se a pessoa praticar diariamente a Meditação Shinsokan, ler o livro A Verdade da Vida e efetuar a leitura da sutra sagrada Chuva de Néctar da Verdade, conseguirá alcançar essas graças.


O sr. Yoshio Endo considerou que foi salvo pelo livro A Verdade da Vida, volume 6 e, levando consigo esse volume, andou por todo o Japão relatando essa sua experiência de vida. Até hoje, ele teve êxito em divulgar sozinho cerca de 70 mil exemplares do sexto volume da coleção A Verdade da Vida. Ele obteve esse extraordinário resultado na divulgação dos ensinamentos porque disse, com verdadeira convicção e fervor, que foi salvo pelo livro A Verdade da Vida, o que fez com que as pessoas lessem 70 mil exemplares desse livro. Isso significa que divulgou as virtudes de Kanzeon Bosatsu, a fundadora desses ensinamentos, e efetuou a doutrinação de 70 mil pessoas. Os pais e mães dos leitores também podem fazer o mesmo. De fato, há hoje muitos pais e mães que estão divulgando individualmente estes ensinamentos para cem pessoas, participando do movimento ao divulgar mensalmente cem revistas sagradas.Que ensinamento consta na Sutra do Lótus?


A Sutra do Lótus é considerada a mais preciosa entre todas as sutras budistas. E nela está escrito que o “homem é filho de Deus, filho de Buda”. Portanto, pode-se dizer que a Sutra do Lótus é Sutra Seicho-No-Ie. Em primeiro lugar, na parte intitulada Hobenbon, constam as palavras de Sakyamuni: “Eu sou o Buda, mas fiz a promessa de ensinar a todos a Verdade de que vocês também são budas igualmente a mim, e essa promessa foi cumprida agora. Todas as pessoas já são budas, são filhos de Deus”. E é na Sutra do Lótus que consta este maravilhoso ensinamento.

A Sutra do Lótus é a mais preciosa, porque, nas sutras de até então, constavam que o homem não se tornará um Buda, um Tathagata, enquanto não passar por longo período de treinamento espiritual, pois até mesmo o Bodisatva Maitreya teve de efetuar treinamentos espirituais durante 5 bilhões e 670 milhões de anos para se tornar um Tathagata.

Mas, na Sutra do Lótus, consta que todos os homens já são budas, já são filhos de Deus. Explicar a verdade de que todos os homens já são budas, já são filhos de Deus, é, na verdade, “pregar a Sutra do Lótus”. Ler o livro intitulado Sutra do Lótus e explicar seu conteúdo não é “pregar a Sutra do Lótus”. Explicar que todo ser humano é originalmente um filho de Deus, um Tathagata, é “pregar a Sutra do Lótus”. Portanto, a Verdade da Vida está sempre pregando a Sutra do Lótus. Por isso, manifestou-se o milagre ocorrido com o sr. Yoshio Endo. Kanzeon Bosatsu se manifestou com o emblema da Seicho-No-Ie


Quem primeiramente visualizou o fato de que foi Kanzeon Bosatsu quem fundou os ensinamentos da Seicho-No-Ie, foi o sr. Kanjiro Kadowaki, que era presidente da Federação das Associações Fraternidade da Seicho-No-Ie de Osaka, na época em que eu morava em Sumiyoshi-mura, na província de Hyogo.


O sr. Kanjiro Kadowaki professava, desde antes, os ensinamentos da Sutra do Lótus e estudara profundamente essa sutra ouvindo as preleções do prof. Tigaku Tanaka, presidente da Associação Kokuchu, uma entidade patriótica. Mas ainda havia partes que não compreendera bem, porque nessa sutra consta a Verdade muito profunda. Mas, por sugestão de certa pessoa, ele leu o livro A Verdade da Vida e compreendeu o significado profundo da Sutra do Lótus, como se ela fosse aberta com uma chave. E compreendeu que “aqui está o filho de Deus, o Tathagata. Eu sou filho de Deus”. Assim, misteriosamente, desapareceram cinco doenças crônicas que ele tinha. Então, de tanta gratidão, o sr. Kadowaki orou da seguinte forma durante a Meditação Shinsokan: “Deus, que Se manifesta através da Seicho-No-Ie, por favor, permita-me reverenciar Sua imagem”. Quando assim orava com todo o fervor, a imagem de Kanzeon Bosatsu surgiu no espaço. Na mão esquerda, segurava uma flor de lótus semi-aberta, e, na mão direita, um rolo de pergaminho. Na cabeça, tinha uma coroa em cujo centro havia um emblema circular.


O sr. Kadowaki esteve na minha residência e me contou essa experiência. Após cerca de três anos, em 1934, mudei-me para Tóquio. No ano seguinte, quando a Seicho-No-Ie já havia crescido bastante, pensei em criar um emblema e solicitei a criação do seu desenho ao prof. Yatsuharu Yamane, que fazia parte do jurado das obras de escultura da Exposição Imperial de Arte (hoje, Exposição Japonesa de Arte). O prof. Yamane criou sete desenhos, e aquele que escolhi como o melhor, é o emblema da Seicho-No-Ie usado hoje.


Sendo definido o desenho, mandamos confeccionar centenas de bótons em prata esmaltado e enviamos uma parte para o sr. Kanjiro Kadowaki, que era presidente da Federação da Seicho-No-Ie de Osaka, para que ele distribuísse aos associados. Ao ver esses bótons, o sr. Kadowaki ficou realmente surpreso. É que, há quatro anos, quando orou durante a Meditação Shinsokan – “Deus, que Se manifesta através da Seicho-No-Ie, por favor, permita-me reverenciar Sua imagem” – Kanzeon Bosatsu se manifestou com uma coroa em cujo centro havia o mesmo emblema.


O sr. Kadowaki não havia dito a ninguém sobre o desenho do emblema que ele vira na coroa de Kanzeon Bosatsu durante a Meditação Shinsokan, e se surpreendeu quando, quatro anos após, esse desenho surgiu no mundo fenomênico em forma visível aos olhos carnais, como emblema da Seicho-No-Ie. Através desse fato, compreendemos que tudo que se manifesta no mundo fenomênico é projeção daquilo que já existe no mundo espiritual, e que Kanzeon Bosatsu, antecedendo à manifestação fenomênica, já era a imagem divina principal da Seicho-No-Ie

Masaharu Taniguchi - Mundo Ideal - Abril/2006

Kuan Yin, em Pé ou Sentada na Flor de Lotus


Nos dias presentes, o povo chama Kuan Yin de Kuan Shih Yin, que em chinês significa “escutadora de pranto” (choro, lágrimas).

Quando a energia dela se faz presente, por exemplo, nos cursos de Magnified Healing, muita gente chora mas é um choro diferente, compassivo, calmo, comtemplativo, especialmente homens chorando. Ela é representada em diversas formas físicas: na forma mais comum ela aparece em pé e mesmo assim de diversas maneiras: vestida de branco, as vezes com a perna esquerda levantada (da mesma forma que Nossa Senhora da Conceição aparece levantando a direita), com um leve manto da cabeça aos pés, com um rosário na mão e um vaso com um liquido chamado de “doce orvalho”.

As vezes ela aparece com cintos de salgueiro. As vezes essa mesma imagem aparece sentada com uma flor de lótus ou com um menino nos braços ou ao lado. Os historiadores orientais dizem que essa forma com uma criança no colo era para atender às mulheres que queriam engravidar e lhe pediam ajuda. Ainda hoje há o culto a Kuan Yin pelas mulheres com dificuldade de engravidar. O vestido branco dá conotações especiais para os chineses, que a têm como a cor da morte, do luto, isto é uma reverência às outras dimensões não-terrenas, não tem nada a ver com tristeza.


Ao se vestir de branco Kuan Yin se posiciona diante da imortalidade cortando os laços do ciclo reencarnatório do sofrimento. Ainda em pé, exibe um pássaro segurando seu rosário, um ramo de carvalho e o Lótus Sutra (uma oração em forma de poema). As vezes está acompanhada de Shan Tsái e Lung Nü, irmã e irmão na encarnação de Kuan Yin conhecida como Miao Shan. Esses irmãos jamais reencarnaram e passaram a ajudar a Kuan Yin quando ela precisa da forma deles.


Aspirando servir Corujinha do Vale /


Silvia Montone
Uma humilde seguidora de Kwan yin http://corujinhadovaleartesanato.blogspot.com/
artesanato dedicado a Divindades
comunidade no orkut

domingo, 6 de janeiro de 2008


O Mantra da Grande Compaixão em Sanskrito


1. namo ratna - trayaya
2. namo arya
3. valokite - svaraya
4. bodhisattvaya
5. mahasattvaya
6. mahakarunikaya
7. om
8. sarva raviye
9. sudhanadasya
10. namas krtva imam arya
11. valokite - svara ramdhava
12. namo narakindi
13. hrih mahavat - svame
14. sarva arthato subham
15. ajeyam
16. sarva sat namo vasat namo vaka
17. mavitato
18. tadyatha
19. om avaloki
20. lokate
21. krate
22. e hrih
23. mahabodhisattva
24. sarva sarva
25. mala mala
26. mahima hrdayam
27. kuru kuru karmam
28. dhuru dhuru vijayate
29. maha vijayate
30. dhara dhara
31. dhrni
32. svaraya
33. cala cala
34. mama vimala
35. muktele
36. ehi ehi
37. sina sina
38. arsam prasali
39. visa visam
40. prasaya
41. hulu hulu mara
42. hulu hulu hrih
43. sara sara
44. siri siri
45. suru suru
46. bodhiya bodhiya
47. bodhaya bodhaya
48. maitreya
49. narakindi
50. dhrsnina
51. vayamana
52. svaha
53. siddhaya
54. svaha
55. mahasiddhaya
56. svaha
57. siddhayoge
58. svaraya
59. svaha
60. narakindi
61. svaha
62. maranara
63. svaha
64. sira simha mukhaya
65. svaha
66. sarva maha asiddhaya
67. svaha
68. cakra asiddhaya
69. svaha
70. padma kasiddhaya
71. svaha
72. narakindi vagalaya
73. svaha
74. mavari sankharaya
75. svaha
76. namo ratna - trayaya
77. mano arya
78. valokite
79. svaraya
80. svaha
81. om sidhyantu
82. mantra
83. padaya
84. svaha

Voce deve cantar 3, 5, 7, 21, 49 ou 108 vezes por dia.